Dificultar a delação premiada é facilitar a vida de criminosos neste país, alerta a Deputada Rosangela Moro

A deputada Rosangela Moro (União-SP) falou, nesta terça-feira (18), em plenário, sobre o retrocesso que vai acontecer caso a proposta que dificulta a deleção premiada seja aprovada. Para a deputada, a delação premiada é um instrumento fundamental no combate à corrupção e ao crime organizado.

“A deleção premiada tem se mostrado eficaz na desarticulação de redes criminosas complexas, aqui e no exterior. Em muitos casos, sem a delação premiada, seria praticamente impossível alcançar os altos escalões do crime organizado. Caso essa proposta seja aprovada, estaremos facilitando a vida dos criminosos neste país”, afirmou a deputada.

A deputada ressaltou, ainda, que a alegação de que pessoas presas não devem ter o direito de fazer acordos de colaboração premiada é absurda. E lembrou sobre o famoso caso de colaboração premiada do italiano Tommaso Buscetta, que foi essencial para que se condenasse mais de 300 mafiosos a prisões perpétuas.

“Até então a máfia era invencível na Itália. Os grandes chefes ficavam impunes. E isso mudou graças à colaboração premiada do Tommaso Buscheta, que estava preso quando entregou os seus cúmplices. Portanto, todos os indivíduos, independentemente de sua condição, devem ter a oportunidade de colaborar com a justiça. Impedir que presos façam acordos de delação é, na prática, fechar uma porta crucial para a obtenção de informações que podem desmantelar esquemas criminosos”, concluiu a deputada.